Alone.

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: ,

Foto retirada do We♥It

      Já era noite quando saí de casa e decidi ir para um lugar nada convencional. Eu estava decepcionada e frustrada com meu namorado (bom, hoje ele é considerado por mim um ex-namorado) pois o que ele fizera comigo não se faz nem com uma flor. Não quero lembrar do ocorrido por que ainda é muito dolorido para mim. Eu ainda o amo apesar de estar lutando com toda a minha alma para esquecer este amor. Para mim, isso é um amor bandido, um amor que só te tira, nada te contribue. Como pode alguém amar outro alguém que só te maltrata, te agride emocionalmente e te humilha? Eu sou assim, um alguém que está na UTI do amor.
      O que Keatan fizera comigo dói tanto que me sinto a pior das mulheres. Sair de casa e fazer outras besteiras só fazem desta manhã um dia muito pior. Agir inconsequentemente é isso: não pensar! De fato, eu não merecia, eu não mereço na realidade, o que estou passando. Sempre fui a companheira ideal, a menina dos sonhos de qualquer garoto. Não, isto não desejo a ninguém. A vontade que me dá é de ir fronte a Keatan e lhe fazer o pior. No momento, só quero fazer coisas que possam o ferir de corpo, alma e coração. E essa dor se alastra por todo o meu ser.
      Sem rumo, sem saber onde estou, sem saber nem o que pensar, o Keatan me fez ficar. Desesperada, alurdida, apavorada. Jogada as ruas, ao relento. Estou a procurar uma saída, uma resposta. De onde me virá o socorrro? Quem estará pronto a me ajudar? Preciso de alguém que estenda-me a mão e me console, me ajude. No momento, eu preciso de um abraço, de alguém que me ouça, me entenda. Quem fará isto por mim? Quem? Quem? Não desejo isto que estou passando a ninguém. Talvez, eu encontre a resposta de todas as minhas perguntas, talvez, eu possa ficar sem elas, talvez, eu nem me dê tempo suficiente para poder tê-las. O vazio que toma meu coração está sendo o suficiente para que eu não encontre mais motivo para viver.

"Texto fictício. Nada com relação ao que vivo, ok? Pauta para In Verbis e Mil Palavras. Um texto todo dedicado a TAY do Sucrilhos e Neuroses que diz que meus textos são jornalísticos demais. Bom, isso é o mínimo que consegui fazer. De fato, o jornalismo domina meu ser e minha mente antes de escrever mas, é sempre bom tentar agradar a todos, não é Tay? Espero que gostem do texto. Forte abraço a todos. PS.: AGORA É DIFERENTE, VOTE SERRA 45, PRESIDENTE."

10 comentários:

  1. Lucas Stefano

    Tadinha da mulher. Já vi pessoas no mesmo estado . ótimo post.

    Sobre o Comentario lá no post sobre Olimpíadas de Helsinque : deve ter sido meio estranho um país nórdico sediar uma olimpíada de verão. Talvez o cilma tenha sido ameno ,já que os verões não costumam passar da casa dos 20 gras positivos lá rsrsrrs . Até mais manin.

  1. Lucas Stefano

    Tadinha da mulher. Já vi pessoas no mesmo estado . ótimo post.

    Sobre o Comentario lá no post sobre Olimpíadas de Helsinque : deve ter sido meio estranho um país nórdico sediar uma olimpíada de verão. Talvez o clima tenha sido ameno ,já que os verões não costumam passar da casa dos 20 gras positivos lá rsrsrrs . Até mais manin.

  1. Jota

    UTI do amor! Será que realmente há cura para essa "doença"?!

    Quanto ao seu texto, dá uma olhada nele novamente okey? ^^

    Boa sorte, abraaaços

  1. Allan Penteado

    Vai ganhar haha! Coitada da menina essa sofreu, na minha opinião eu não acho que ninguém deva sofrer por amor, acho que podemos sentir tudo por amor, mas sofrimento não se encontra na minha lista sobre o que o amor inclui. Confuso?!

  1. Leeti

    Nossa 'O'
    *-*

  1. Tay

    Ah, ótimo post!
    Pra mim?! Que lindo!!
    Obrigada. Os seus textos são sempre bons, você sabe que sou fã do que você escreve. Só que como diz a Naty, eu sou uma anti-social com o péssimo costume de não comentar blogs alheios.
    Sinto muito.
    Obrigada moço!
    Beijos!

  1. Patrícia N.

    Gostei do teu texto,colega tricolor!rs.
    Infelizmente,esta é uma situação bem mais comum que se imagina.
    Parabéns e boa sorte!

  1. leila

    eh, essa tá mal, texto ótimo, embora me surpreendeu viu ìtalo, estava mais acostumada com o "jornalístico", isso é que é façanha de escritor.

  1. Irene Moreira

    Italo
    Que história triste... massacrastes a pobrezinha que ficou sem pai nem mãe. Como sempre você é demais meu rapaz.
    Parabéns!!!

    Beijos

  1. Cris Souza

    Gostei... Mas curto mais seus textos opinativos!

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.