The Best Woman in the World.

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , ,

       
     Finalmente dei vozes aos sentimentos dentro de mim e falei tudo aquilo que estava engasgado dentro de mim. Eu sei que não sou perfeita e que posso não agradar a todos, afinal, quem é este(a) no mundo que fez tal façanha? Infelizmente, o mundo não está preparado para receber uma pessoa como eu. Sem falsidades, demagogias ou coisas que possam te fazer lembrar palavras bonitas, eu sei que sou forte, que sou destemida e que posso ir muito além do que eu imaginar. Eu sei que não vim ao mundo para ser mais uma, mas aquela que vai conquistar essa terra. Como já dizia mamãe, os meus olhos falam por mim. Sou grata a Deus e a ela por terem me feito desta forma. Até nisso a genética foi perfeita comigo. Chega de saudosismos! Eu confesso que não sou essa perfeição em pessoa! Eu já cometi muitos erros antes de chegar aonde estou. Já fui ferida e feri muitas pessoas, já fui decepcionada e já decepcionei muitas pessoas, já perdoei muitas e não recebi o perdão de tantas outras. Às vezes, sinto vergonha de mim mesma por ter agido tão descompensadamente. Eu era adolescente e na adolescência agente age sem pensar, age por impulso sem saber lidar com o que há de vir pela frente.
      Era perturbada pela vozes que atingiam minha consciência e me condenavam. Eu sabia que o que tinha feito era errado e que precisa encontrar alguma maneira de tentar reverter o mal que fizera. Tentei entrar para a caridade, ajudar pessoas carentes e a fazer trabalhos voluntários em hospitais. Isso era bom, mas não o suficiente! Eu precisava fazer algo que impactasse a minha vida! Decidi ir em uma viagem para a África. Lá as coisas são bem piores do que podemos imaginar. Vemos pela televisão e pela internet algo tão superficial do que é na realidade. Um povo pobre, miserável, entristecido. Foi quando encontrei Malu-Abdu-Sharai, um garoto de 8 anos, franzino, com as costelas dobradiças fronte ao seu corpo fragilizado. Sua respiração era ofegante, mas o sorriso em seu rosto ainda era perceptível. Ele era portador de uma doença incurável. Seus dias estavam contados. Madu (como era chamado carinhosamente por mim) logo se encantou comigo. Não se desgrudava de mim. Logo, comecei a sentir o mesmo por aquela criança. Comecei a sentir todas as dores que ele sentira, passei a lutar junto com ele por sua vida. Devo confessar que não é fácil lidar com uma situação dessas. Ainda mais alguém como eu que nunca tinha feito nada parecido por ninguém. O individualismo era meu ser dominante.
      Madu entrara em estágio avançado de sua doença, a morte era iminente. Não sabia mais o que fazer. Comecei a andar por todos os cantos da África em busca de um tratamento e até fora do continente. Nada, nada encontrara. Até que em um dia, Madu falecera em meus braços. Estava contando uma história para ele e quando me espantei não sentia sua respiração e nem o pulsar de suas artérias. Madu se fora e me deixara uma grande lição: a luta pela vida. Desde esse dia não fui mais a mesma. Madu revolucionara a minha vida, a minha história. Passei a lutar pela causa das crianças que sofriam com a mesma doença de Madu. Criei a Madu's Philanthropic Institution for Children Supports Patients with Incurable Disease em homenagem a Madu. Ele se foi, mas a sua pequena trajetória aqui na Terra jamais será esquecida. Eu farei tudo o que estiver ao meu alcance para que vidas sejam salvas. Tudo o que não conseguir fazer para que Madu estivesse aqui, hoje, eu farei na vida de outras crianças para que ele sempre seja lembrado. Em virtude disto, ganhei o Nobel da Paz por promover a paz na África e por incentivar a luta contra as doenças incuráveis de lá. Hoje, sou uma nova pessoa. Como sou conhecida? The best woman in the word, ou seja, a melhor mulher no mundo.

"Texto hiper fictício. Uma pauta para o In Verbis e também em homenagem a uma amiga linda, que amo de paixão, LUANA. Ela pediu que fizesse uma história baseada em uma foto que ela não deixou eu publicar de forma alguma. Uma pena, a foto dela é incrível. Espero que tenham se identificado com a história, uma lição de vida. Forte abraço a todos. PS.: AGORA É DIFERENTE, SERRA45, PRESIDENTE."

7 comentários:

  1. Pegadas do Coração

    Apesar de ser uma estória fictícia, mas é linda demais!! Chega me emocionei.. Como sempre sendo um instrumento na mão do Senhor..
    Pena que sua amiga não colocou a foto, mano! Queria conhecê-la..Rsrs.
    Abraço.. Fica com Deus!
    No amor do Pai,
    Ataniel.

  1. Leeti

    Nossa, que lindo *O*

  1. Allan Penteado

    nossa é tão difícil escrever como uma menina né?! mas você está de parabéns, eu gostei da história,^^

  1. Heitor Lima

    Nossa, mano... fiquei sem palavras... :x

  1. H. Steiner'

    Putz, fictício?! Queria tanto que fosse verdade D:
    Muito lindo o post!
    *-*

  1. Leila Ice Girl

    Linda história e mesmo sendo ficção a gente se emociona.

  1. Patrícia N.

    Achei surpreendente o final!Muito bom!

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.