¿TROTES?

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , , ,

     

      Com o início do ano letivo nas faculdades e universidades do Brasil surge aquele famoso dilema para os calouros: os trotes. É impossível encontrar aquele calouro que nunca tenha ficado receoso sobre o que seria o seu trote. No Brasil, existe várias formas de trote e isso não foi criado em terras tupiniquins. Antes das universidades serem, oficialmente, chamadas de universidades os trotes já existiam. Vamos então entender como surgiu essa preocupação na vida de todo calouro universitário.
      Segundo o pesquisador Glauco Mattoso não se sabe ao certo a origem do primeiro trote mas, sabe-se que o mesmo surgiu na Europa quando as ditas universidades eram centro religiosos omandados pela Igreja Católica na época medieval. “Na Idade Média, todo mundo era analfabeto. Isso é antes do surgimento da imprensa, então os livros eram todos escritos à mão e muito raros. Era muito caro estudar. Quando alguém entrava em uma universidade, era um privilegiado”, explica. Olhando por este lado, hoje em dia, não mudou muita coisa.
      “Os alunos que já estavam na faculdade viam o novato como um verdadeiro bicho do mato. É daí que vem a ideia de chamar calouros de 'bichos’”, conta Mattoso. “E isso não era longe da realidade. Quem chegava à universidade pela primeira vez era geralmente analfabeto e tinha longos cabelos, unhas sujas e barba comprida. Estamos na Idade Média, afinal. Os veteranos viam o novato como alguém que precisava ser literalmente civilizado".
      Daí começa a surgir os famosos trotes por violência, pois os veterenaos começavam a perturbar os calouros de todas as formas possíveis. Dados apontam que os primeiros trotes à base da violência surgiram nas universidades da Alemanha onde os calouros era ridicularizados ao ponto de haver muitas mortes. No Brasil, a base ideológica dos trotes acompanhou os famosos feitos da Universidade de Coimbra, sendo que o primeiro trote com morte no Brasil foi registrado na Universidade de Olinda em 1831.
      Acontece que tudo que vem para o Brasil tem o seu fundamento modificado e, com os trotes não seria diferente. O povo brasileiro gosta de carnavalizar tudo e, os trotes viraram uma espécie de festa, de carnaval onde os calouros são sujos de tinta, maisena, obrigados a pedir esmolas no sinal e em outros casos, a situações humilhantes como já resgistrado nas universidades do sul do país.
      Existem países da Europa e até os Estados Unidos onde o trote foi banido.Nos EUA, os trotes ficaram à serviço das famosas "fraternidades". O que vale registrar é que trotes violentos sempre existiram e, ao que tudo indica, eles nunca acabarão, pois são a alma fortalecida de todo centro acadêmico. Ser pego no trote te faz querer fazer com que  o calouro que ingressar na universidade no semestre seguinte passe por tudo aquilo que você passou e, em suma, de forma pior. É um ciclo que, aparentemente, não terá fim.
"Eu não fui pego nos dois trotes que deveria participar como calouro. Em ambas às vezes, cheguei atrasado e. quando o circo estava pegando fogo eu saí pela tangente. Ruim? É, às vezes acho que foi ruim e, em outras tantas acho que foi livramento de Deus. Rs'. Abração. GOD BLESS."

14 comentários:

  1. Jackie

    Ual, quanto tempo eu não venho aqui.. Gostei muito desse post. Falta dois anos pra eu entrar na facul, mas já penso nas coisas e tal. E por um lado tenho medo do trote. Por outro, acho divertido, mas enfim, é só esperar. Acho que todo mundo deveria passar pelo trote. É uma tradição.! E seja como for, você vai lembrar pro resto da vida..

  1. leila

    Ah eu acho trote violento uma besteira, sabe? Já escrevi sobre isso n In My Place,
    http://leilahani.blogspot.com/2011/02/veteranos-versus-calouros.html
    existem formas bacanas de recepcionar calouros na faculdade;quando eu entrei na faculdade teve trote, não foi violento nem nada, eu me escondi ahah, mas espero sinceramente que não haja trote quando eu for começar o curso de Turismo, até porque eu não sou caloura, calouuuura né?
    p.s quase não co
    nsigo comentar nesse blog, melhor em nenhum, tá um drama de internet aqui, twitter,só no cel, msn, nem sei mais o que é isso, kkk, beijo, Italo!

  1. Lucas Stefano

    Que coisa. A história do trote e realemente sinistra. Uma pena . Concordo com a leila. Há muitas maneiras de recepcionar um calouro.
    Obrigado pelo comentário lá no meu blog. A , manuscito rumo aos 200 seguidores Uhu !!! . Até mais.

  1. Tiêgo R. Alencar

    Meu sonho era participar de um trote! Morro de medo desses violentos e desnecessários que tem, mas menino, aqui as coisas são super pacíficas, mal vejo a hora de arrasar no trote! Era pra você ter se jogado no trote também, olha. Seria uma história pra contar, né? Ainfal, você faz COMUNICAÇÃO SOCIAL! Quer coisa mais top do que essa?

    Um abraço! ;)

  1. Rodrigo Celi

    estudei na UFOP e graças a deus no Instituto que eu estudava num havia trote

  1. Brad Pághanni

    Graças a deus eu não tive que passar por trote.
    Agora, eu tenho que concordar... Existe um pessoal que faz um trote diferente: eles não praticam coisas doidas e nem humilhações...
    Eles fazem brincadeiras para arrecadar comida, ou roupas, ou alguma outra coisa para pessoas necessitadas. Isso eu acho interessante.
    E... Muito bom o texto. Ta aí uma coisa que eu nunca tinha pesquisado a fundo. Boa pesquisa! Parabéns.

  1. alain

    haha! tambem me salvei do trote!

  1. alain

    quando aconteceu eu já tinha voltado pra casa!!!




    legal o blog^^

  1. Pamela Dal'Alva?

    ai tenho medo de entrar na faculdade por isso . na verdade nao ´bem um medo .. vergonha ... eu vi o trote da minha amiga .
    tadinha, pintaram-na no cabelo

  1. Taynara Ambrósio

    Trotes. Polêmico sempre.
    Eu particularmente adoro, mas não os violentos, mas os que fazem uma boa ação para a sociedade, recolhem alimentos e distribuem nas ongs..
    Já que é uma comemoração, uma felicidade por ter entrado numa universidade, faça outras pessoas felizes também.
    Adorei o texto.

  1. enricows

    Realmente, é um ciclo violento, quando na verdade, deveria ser apenas uma comemoração, virou uma coisa banal, que muitas vezes pode acabar em mortes.
    Parabéns pelo blog! Abraço!

    Comente no meu blog também:
    http://enricows.blogspot.com/

  1. Sebastião Soares

    Eu acho o trote, ao menos o violento, um ato excessivamente imbecil e desnecessário. Tive um trote muito ameno, mais de integração do que qualquer outro motivo e assim é que deve ser.

    Abraço

  1. Poison-Mandy FPB

    Sempre achei isso uma grande babaquice. Igual a Farra do Boi. Só muda o animal mesmo.

    http://poisonmandyfpb.blogspot.com/

  1. Tati

    Acho o trote um ritual de passagem que deve existir desde que com bom senso e sem violência. Quando entrei na faculdade rolou toda aquela cena de "cara pintada", pedágios, festas e acho que tem de ter sim, mas infelizmente as coisas andam cada vez mais se tornando perigosas e isso está relacionada às pessoas e não apenas pela tradição do trote.
    Tema ótimo para grandes debates!!!!

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.