Sempre ao seu lado

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , , , , ,


      
      Felizes os cães, que pelo faro descobrem os amigos. Sob a célebre frase de Machado de Assis começo este pequeno post que tratará do quê? – amizade. Triste assunto batido na blogosfera. Pai da Glória, por que todo mundo fala de amizade? Por que amizades mexem tanto com a cabeça dos blogueiros? Acho que há uma maldição sobre todo blogueiro, pois, 99,9 % dos blogueiros têm uma história triste sobre amizade para contar.
      Sendo assim, retorno a frase citada anteriormente e a exemplifico através do filme hollywoodiano, Sempre ao seu lado. O filme retrata a história verídica de Hachi, um cão da raça akita, que é leal até a morte ao seu dono. A história se deu no Japão em meados dos anos 1920 e foi ambientada nos Estados Unidos onde Richard Gere fez o papel do professor Parker, dono do cão mais leal que já se ouviu falar.
      Hachi conquista o coração da família de Parker e de toda a pequena cidade onde mora. Todos ficam espantados com os gestos de carinho e lealdade prestados a Parker por Hachi. Todos os dias, religiosamente, o cachorro deixava e buscava seu dono na estação de trem da cidade até que o dia Parker não retorna, pois acaba sendo vítima de um infarto fulminante. Mesmo assim, Hachi vai à estação de trem e fica na espera do retorno de seu dono. 
      O cachorro fica velho, perde a visão, mas sua lealdade ao professor Parker permanece inabalável. Mesmo com a atitude da família Parker de mudar de cidade e fazer com que o cachorro viesse a esquecer seu dono nada iria adiantar. O animal permanecia fiel ao seu costume de esperar o dono todos os dias, nos mesmos horários, na bucólica estação de trem. Amigos do professor Parker, sensibilizados com o amor de Hachi pelo seu dono, ajudam o animal a não passar fome e frio, porém, tudo o que Hachi queria era reencontrar seu dono pelo menos uma vez mais.
      Infelizmente, Hachi ficou velho e morreu. Morreu à espera do retorno de seu melhor amigo. Foi erguida na cidade de Shibuya  uma estátua de bronze no mesmo local onde todos os dias Hachi esperava seu dono em sua homenagem. Na vida real, Hachi teve seus restos mortais sepultados ao lado do professor Ueno (que no filme é o professor Parker) e todo dia 8 de abril é realizado uma cerimônia em frente a estação de Shibuya em homenagem ao cão leal.
      Hachi ensina a importância de um sentimento que é esquecido por muitos: a lealdade. Segundo o dicionário Aurélio, lealdade significa "qualidade, ação ou procedimento de quem é leal". Leal é todo aquele que é sincero, franco e honesto. O mundo carece de pessoas leais. Pessoas que se importam uns com os outros. O filme termina com a célebre frase "nunca devemos esquecer quem amamos". Hachi ficou à espera de seu dono por nove anos até morrer. Será que seríamos capazes de fazer algo parecido por alguém que amamos? Reflita.

"CHOREI, com esse filme. Todas as vezes que o vejo sinto a mesma sensação. Será que eu, realmente, tenho amigos leais? E sempre me vem à mente aquela velha expressão: ACHO QUE NÃO. Enfim, vejam o filme e reflitam. Forte abraço."

5 comentários:

  1. Bih Dias

    Também me emocionei muito ao ver esse filme. Realmente o tema dele é muito reflexivo. Vale a pena assistir (de novo!)
    Um forte abraço, mano! =D

  1. Fernando Wecker

    Esse filme é sem dúvida alguma o melhor que já vi no quesito emoção, choro todas as vezes que vejo e, realmente, me pergunto também se tenho amigos leais assim como você todos os dias praticamente. Adorei o post.

  1. ♥ Evelin Pinheiro ♥

    Filme muito lindo mesmo. E amizade é algo muito controverso. Akeles q pensamos ser nossos amigos, por kem temos certa estima são os q, muitas vezes, nos decepcionam =/

    Gostei da frase de Assis...

    Andei beeeem sumida pelos motivos de sempre, e ainda por cima, me mudei de casa, tudo uma bagunça. Mas tentarei estar mais presente!
    Tem postagem nova, confere lá!
    Beijos*-*
    evesimplesassim.blogspot.com

  1. Allan Penteado

    esse filme é realmente muito lindo e trás uma historia perfeita de amor e renúncia.

  1. Nathy

    Esse filme é mesmo lindo e emocionante!

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.