Os Três Mosqueteiros em São Paulo

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , , , , , , ,

       Já ouviu falar na história dos “Três Mosqueteiros”? Ainda não? Pois bem, desta vez, eu não irei lhes contar a famosa história dos três desbravadores franceses que lutavam por ideais nobres da França Média. Contarei a história dos “Três Mosqueteiros” do Maranhão na capital paulista, São Paulo, durante os dias 25 a 27 de maio de 2012.
      Um deles se chama Italo Stauffenberg (Stauff, para os íntimos), 20 anos de idade, estudante de jornalismo e amante de viagens. Outro se chama Thiago Ângelo, 21 anos, estudante de administração e um sonho: se casar com a Lorena. O último, porém, não menos importante se chama Igor Brito. 21 anos também, estudante em Engenharia de Produção e exonerado da VALE.  Os três decidiram passar o final de semana em São Paulo devido um objetivo em comum: a Conferência Livres 2012.
      Três rapazes, um objetivo, pouco dinheiro no bolso e três mochilas. Errado. Duas. O Stauff não consegue viajar levando, apenas, uma mochila nas costas! As roupas são algo essencial em suas viagens. Estar bem arrumado em terras distantes é, para si, um cartão de visita, pois seu estado deve ser, sempre, bem representado. Então, duas mochilas e uma mala, podemos assim concluir.
      A viagem? Tudo ficou sob a responsabilidade do Igor. Conhecido por ser um “nerd” e sempre metódico e cuidadoso com suas coisas, o jovem mosqueteiro planejou toda a viagem. Hotel, translado, alimentação, enfim, tudo. A saída de São Luís foi pela companhia área da TAM. O Stauff amou a companhia, pois como já tinha viajado outras duas vezes pela GOL achou a TAM um luxo. Os outros mosqueteiros, como viajaram pela primeira vez de avião, acharam que o aeromodelo era feito de plástico, pode?

      A chegada em São Paulo, terra da garoa, no Aeroporto de Guarulhos, aconteceu às 5h30 do dia 25. O que fazer até às 12h do mesmo dia quando, somente, neste horário seria liberado o acesso ao hotel? Hum... passear! O translado de Garulhos ao bairro da Luz, em São Paulo, custou aos mosqueteiros a bagatela de R$ 95. O trânsito? Estava normal, para um paulistano! O taxista? Bem apessoado, são paulino (aleluia!) e de boa fala. Apresentou-nos o CT do Corinthians, que fica na Av. Presidente Dutra ,e com muita “alegria” mostrou-nos o cartão postal da capital paulista: o Rio Tietê.
      O hotel escolhido pelo Igor foi o Castelinho. Ele é bem localizado. Fica perto da Pinacoteca do Estado de São Paulo, da Estação da Luz e Metrô Tiradentes, do Parque da Luz, feira do Brás e Mercado Municipal. O bairro Luz é divisa com os bairros do Bom Retiro, Brás, Mooca, Vila Guilherme e Vila Maria. Nunca se viu tantos COREANOS na vida! E fumantes? Nossa, dê um cigarro em troca de um paulistano. O povo fuma, fuma, fuma e fuma. Lamentável.
      Como só poderiam entrar no hotel às 12h, os jovens mosqueteiros decidiram ir atrás de um Correio. O brilhante e “nerd” Igor queria enviar um iPad para Curitiba, Paraná. Por que, então, ele não fizera isto em São Luís? Acredite: ele havia dito que se enviasse o iPad por São Luís pagaria R$ 30 enquanto que, se enviassem em São Paulo pagaria R$ 13. Será que o jovem estudante de engenharia é econômico?

      Depois de andar, trilhar, andar e andar mais um pouco pela Estação da Luz, Parque da Luz e pela feira do Brás, achou-se os Correios em um tal “Shopping 500” escondido em meio a grande “feira livre” do Brás. Após a peregrinação aos Correios os garotos decidiram voltar ao hotel e conheceram uma recepcionista muito agradável. O nome de tal pessoa este que vos relata esqueceu, mas que tal recepcionista era bem vistosa e apessoada, isto era. Ela liberou o acesso dos jovens mosqueteiros ao hotel às 10h30 e indicou vários lugares para se visitar na capital paulista. Os “três mosqueteiros” decidiram, então, almoçar e passear mais um pouco. Em seu “tour” acabaram se afastando do hotel, mas conseguiram regressar. Cansados, sim, muito cansados retornaram ao hotel. Foi então que adormeceram e acordaram às 16h e partiram rumo ao primeiro dia na CONFERÊNCIA LIVRES 2012.
      Igor havia pensado até em que transporte coletivo poderia ser utilizado para ir ao evento. Ir de táxi? Nem pensar. Pagando o equivalente a R$ 3, os garotos entraram no ônibus e foram a Vila Guilherme. Às 17h30 chegaram à Igreja Bíblica da Paz e esperam 2h para que o evento começasse. Duas horas em fila rende novos amigos, certo? Sim. Um casal do Rio de Janeiro e um rapaz de São Paulo se apresentaram aos mosqueteiros do Maranhão e uma possível amizade se iniciou.
      O evento começou. Ministério Livres e Juliano Son, Matt Redman e Pr. Ed Rene Kivitz se apresentaram e pregaram e o primeiro dia terminou. Os mosqueteiros teriam que regressar ao hotel de táxi, não é verdade? Errado. A aventura seria voltar de ônibus às 23h30. Apesar das ruas desertas e um clima bem gélido, os garotos chegaram bem e descansaram. No outro dia, sábado, mais uma aventura iria começar.

      Às 10h30, os mosqueteiros já estavam na Vila Guilherme, na CONFERÊNCIA LIVRES 2012. Matt Redman e Adauto Lourenço ministraram. Pausa para o almoço no Shopping Center Norte, na própria Vila Guilherme. Já pensou o que são quase mil pessoas indo almoçar em um mesmo lugar? Pois bem, o shopping lotou e a praça de alimentação entrou em colapso. As 14h30 iniciou-se a segunda parte do segundo dia de Conferência Livres. John Mark McMilan (autor da canção How He Loves), Pr. Luiz Sayão, Banda Cinco A.M., Pr. Antônio Carlos ministraram pela tarde. Paralelo a isto houve um show de Rodrigo Abrantes, ex- vocalista da banda secular Raimundos, no mesmo local, porém, não pertencente à Conferência Livres. A terceira parte do segundo e último dia da Conferência Livres iniciou-se às 19h45 com a ministração de John Mark McMilan. Em seguida, Daniele Son (esposa de Juliano) explicou o projeto Piauí do Abrigo Livre Ser para que, Juliano Son começasse a pregar. A Conferência Livres 2012 acaba com a apresentação do Ministério Livres ao lado de Matt Redman e John Mark McMilan. Como voltariam os “Três Mosqueteiros” do Maranhão para o hotel às 00h? De ônibus, claro. A emoção e a falta de dinheiro para pagar um táxi eram bem maiores e, como Deus é fiel, tudo ocorreu bem e os garotos chegaram, banharam e descansaram.
      No último dia, em São Paulo, 27, os garotos acordaram e se arrumaram para voltar a sua realidade social: o Maranhão. A economia do Igor e Thiago eram tão exorbitantes que, até ir para o Aeroporto de Guarulhos, os meninos queriam ir de metrô só para não gastar dinheiro! Depois de muita luta, Stauff e a recepcionista do hotel os convenceram a ir de táxi. Desta vez, um taxista corintiano e gago os levou ao aeroporto pela quantia de R$ 70.
      No aeroporto via-se uma fila de “check-in” enorme. Um homem alto, forte, negro e voz grossa tentou se comunicar com Stauff. O mosqueteiro deu uma “enroladinha”, mas conseguiu a comunicação desejada com um russo. O que um ano de curso de inglês não é capaz de fazer, minha gente? No avião, tudo bem. Stauff havia sentado na janela. Ele e sua pequena e singela câmera SONY cor de rosa registraram várias fotos dos céus brasileiros. A companhia aérea TAM trouxe os “Três Mosqueteiros” ao Maranhão. Às 14h55, sob um clima de 32 graus, os garotos desembarcaram em São Luís.
      O final de semana na capital paulista havia acabado. Os dias de diversão e busca por aperfeiçoamento espiritual e aprendizado da palavra de Deus havia terminado. CONFERÊNCIA LIVRES 2013? Igor e Thiago estão convencidos de que ano que vem haverá “bis”. Stauff parece não muito satisfeito com a hipótese. Será que haverá mais uma história para contar destes três jovens desbravadores? Aguarde.

0 comentários:

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.