Dia D, dia de DESPERTAR

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , , , , ,



 Nasceu mais um dia, nasceu com um sol em que se via a primeira luz, uma luz além do olhar, a tão dita luz no fim do túnel.  Dia D, dia de despertar, melhor, acordar. Era dezenove de junho de 2013. O primeiro dia de manifestações na cidade de São Luís. Aquele velho blablablá de que “o gigante havia acordado” aconteceu pelas bandas da terra que tem palmeiras cujo famoso sabiá de Gonçalves Dias gorjeia.
Dia de Brasil versus México. Dia da família se juntar a tarde e assistir na tela da TV Globo a narração de Galvão Bueno gritando: Éééééé gooooooooooooooooool do Braaaaaaaasil-sil-sil-sil! Mas, como diz a gíria popular: só que não! Toda euforia nacionalista despertada pelos jogos da seleção brasileira saiu das casas, dos bares e foi parar nas ruas da cidade. O rosto pintado de verde e amarelo para comemorar os gols serviu como demonstração de um verdadeiro sentimento de amor pela pátria, uma pátria idolatrada, salve, salve!
O centro de São Luís, lá pelo cair da tarde, já estava tomado de jovens, estudantes universitários, o futuro da nação. Cerca de quinze mil idealizadores de um país mais justo, igualitário e que sonhavam com a libertação política do estado do Maranhão. O hino “Sarney ladrão! Devolve o Maranhão!” foi entoado diversas vezes entre as ruas e vielas até ser bradado com imponentes vozes em frente do Palácio dos Leões, o palácio do governo.
A noite caiu, mas não caiu o desejo pela mudança. O Maranhão acordou, a juventude foi pra rua e mostrou que está atenta. Essa conversa de está deitado em berço esplêndido politicamente já parece mais com história pra boi dormir. É hora do governo acordar, é hora da vontade dominar, é hora de crer mais nos tribunais, de exorcizar o mofo das prisões, de ver nossos velhinhos a cantar. Cantar o hino da nação com a mão estendida sobre o lado esquerdo do peito satisfeitos com o país em que vivem. 

1 comentários:

  1. Nati

    Sinceramente, protestos são bons quando não atrapalham o dia-a-dia das pessoas, aquela rotina chata e que todo mundo precisa para poder sobreviver. Beijo

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.