É ou No é?

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , , , , , ,


FICHA TÉCNICA
Direção: Darren Aronofsky
Produção: Arnon Milchan
Roteiro: Ari Handel
Elenco original: Russell CroweJennifer ConnellyEmma Watson 
Gênero: Épico, Aventura
Duração: 2h18 minutos
Idioma original: Inglês
Estúdio: Paramount Pictures
Distribuição: Paramount Pictures

“Um homem não é guiado pelos céus. Um homem é guiado pelas suas vontades.”

      Essa frase poderia resumir bem toda a obra cinematográfica do diretor Darren Aronofsky. Conhecido por ter dirigido o filme que rendeu a atriz Natalie Portman o Oscar de Melhor Atriz, em Cisne Negro, Aronofsky apostou todas as suas cartas em Noé como o filme do ano de 2014. Incansáveis e exorbitantes gastos com publicidade envolveram toda a trama baseada no conto bíblico de Noé. Lamentável. O filme não agradou o público brasileiro e rendeu inúmeras críticas.
      Confesso que ao ver pela primeira vez o trailler do filme logo me interessei em assisti-lo. De lá pra cá muita coisa mudou. Nos últimos meses li as fortes críticas e censuras em alguns países islâmicos sobre a película, mas daí que ser censurado pela mídia islâmica não é lá algo alarmante. A vinda de Russell Crowe ao Brasil para promover o filme só causou mais alardes a atração pitoresca de Aronofsky.
      É bem verdade que não fui assistir ao filme com um olhar cristão. De fato, se fosse vê-lo acompanhado de uma bíblia para perceber as semelhanças com o livro seria algo como “morte súbita”.  Não, o filme não traz nenhuma referência a bíblia além do fato de contar sobre Noé e sua família.
      A meu ver, Noé retrata bem a questão do “ecologicamente correto”. É nítido na fala entre as personagens referências contemporâneas a cerca de “salve a natureza”, “o homem é responsável por destruir o que o Criador nos deu” e todo aquele blá blá blá. Como obra cinematográfica, o filme te proporciona vários momentos de tensão e é capaz de envolvê-lo.
      É fato que há muita heresia. Não existiam os guardiões (anjos caídos), ninguém entrou na arca a não ser a família de Noé, Cam não era revoltado com o próprio pai e não houve batalhas para se entrar na arca. É interessante a forma como o diretor buscou retratar algumas icógnitas bíblicas, porém, nenhuma delas foi bem aceita tanto pela crítica quanto por cristãos. Resumindo, para a casta cristã o filme é totalmente herege! Merecia ir à fogueira. Para a casta crítica da sociedade, a película foi o fiasco do ano. Merecedor da Framboesa de Ouro como pior filme do ano ou não, uma coisa é certa: Noé foi a ferida na alma de todo cristão, a pedra no sapato de todo crítico e aquilo que ninguém esperava.
      Pelo menos, para alguma coisa o filme serviu. Despertar a vontade de ler a bíblia e se interessar pelas verdades contidas no livro sagrado. 

0 comentários:

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.