Caiu de ippon na interpretação

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , , ,

Filme A Grande Vitória, que conta a história do ex- judoca Max Trombini,   traz boa história que foi ofuscada pelo roteiro pouco preciso e atuações que deixam a desejar

      Está em cartaz nos cinemas brasileiros o longa-metragem A Grande Vitória que é uma adaptação do livro autobiográfico Aprendiz de Samurai, do ex-judoca e treinador esportivo Max Trombini. O filme marca a estreia de Stefano Capuzzo Lapietra como diretor e roteirista e do galã global Caio Castro no cinema. Sabrina Sato, Suzana Pires, Domingos Montagner, Tato Gabus Mendes, Ken Kaneko, Moacyr Franco, Tuna Dwek, Paula  Pretta e Felipe Falanga completam o elenco da produção cinematográfica.
      O filme é dividido em duas fases. Na adolescência, Max Trombini (Felipe Falanga) é um menino problemático que briga com os amigos da escola e acha que sua mãe (Suzana Pires), uma mulher batalhadora e sofrida, não gosta dele. Max é melhor amigo do avô (Moacyr Franco), mas com o falecimento do avô, o garoto se torna ainda mais agressivo.        Através da indicação do professor de educação física (Max Trombini), o garoto começa a treinar judô na cidade de Ubatuba (SP) e vê no esporte a oportunidade de mudar de vida.
      Apesar da situação financeira complicada, a mãe de Max investe no novo sonho do filho que almeja ser um campeão olímpico. Na fase adulta, Max (Caio Castro) decide treinar em outra cidade, mas devido aos tropeços profissionais e escolhas pessoais percebe que o sonho da medalha olímpica fica cada vez mais distante quando sua namorada Alice (Sabrina Sato) anuncia que está grávida.
      Seguindo no ritmo acelerado de produções brasileiras que tem conquistado o público nacional como De Pernas Pro Ar 2, Minha Mãe é uma Peça e Meu Passado me Condena que levaram mais de três milhões de pessoas aos cinemas brasileiros, o longa de estreia de Stefano Capuzzo Lapietra, ao que tudo indica, não conquistará o mesmo feito. O drama esportivo levou um ippon (termo no judô que indica um golpe perfeito, resultando na queda do adversário) na escolha do elenco e no roteiro, pois ambos são fracos, apesar da história real ser bastante interessante. Os créditos de atuação vão para a atriz Suzana Pires que mostra toda a força de uma mulher que criou o filho sozinha sem a presença do pai (Domingos Montagner). A intenção do diretor em aproximar o espectador da história do judoca retratando todos os episódios da vida dele fica confusa quando não se percebe um aprofundamento da narrativa a cerca dos fatos vividos por Max Trombini. 
      A atuação de Caio Castro também é colocada em xeque, uma vez que, o ator nem de longe consegue prender a atenção do público dando vida a um personagem real que possui uma trajetória de vida tão intensa e motivacional. Outro ponto negativo está na atuação de Sabrina Sato. A apresentadora de TV, que tem investido sorrateiramente na carreira de atriz, por vezes, demonstrou estar desconfortável encenando a personagem Alice que não apresenta o viés cômico característico de Sabrina. Foi pouco mais de seis minutos de atuação em um filme de uma hora e 28 minutos que fizeram de Sabrina Sato algo mais próximo de um figurante do que uma co-protagonista.
      O diretor Stefano Capuzzo Lapietra é formado em cinema pela FAAP e pela New York Film Academy. Já produziu e dirigiu mais de seis curtas-metragens, exibidos em diversos festivais de cinema no Brasil e exterior, entre eles Nalu e Phoenix.
      O autor do livro autobiográfico Aprendiz de Samurai, Max Trombini interpreta um professor de educação física na primeira fase de A Grande Vitória.  Flávio Canto, judoca medalhista olímpico em Atenas 2004 e apresentador do programa Corujão do Esporte (Rede Globo) figura como um lutador de judô no longa e o apresentador de TV Carlos Massa, mais conhecido como Ratinho, também faz uma pequena participação no filme.


 FICHA TÉCNICA
Direção:  Stefano Capuzzo Lapietra
Produção: Fernando Meireles
Roteiro: Stefano Capuzzo Lapietra
Elenco original: Caio Castro, Sabrina Sato, Tato Gabus Mendes, Suzana Pires
Gênero: Drama
Duração: 88 minutos
Idioma original: Português
Distribuição: Downtown Filmes

1 comentários:

  1. Renato Almeida

    Não me sinto com vontade de ver essa adaptação, já esperava criticas nada positivas sobre as atuações, achei as escolhas para atores principais muito marketing e nada além disso. Quero dizer, atores famosos mas que não possuem muito talento. Enfim, gostei de sua opinião, me pareceu sincera.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.