The Voice USA e alguns comentários

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , , , ,


      Você já deve ter ouvido falar no programa musical The Voice, certo? Se ainda não este post tentará explicar, brevemente, a sexta temporada da atração que é comandada por Carson Daily e julgada por Adam Levine, Shakira, Blake Shelton e Usher. O programa é uma criação do holandês John de Mol. O formato foi comprado pela NBC, nos Estados Unidos e ganhou projeção no mundo inteiro.
      Hoje, o The Voice possui franquias na Suíça, Itália, Russia, Estados Unidos e Brasil. Aqui, os direitos autorias para exibição do tallent show são da Rede Globo de Televisão. Apresentado por Tiago Leifert e com Cláudia Leitte, Lulu Santos, Chris Brown e Daniel, a versão brasileira está a caminho da terceira edição após o grande sucesso da primeira temporada que premiou Ellen Oléria como vencedora e da segunda, que deu projeção a carreira de Sam Alves.
      Voltando ao The Voice dos Estados Unidos (que é o foco central deste post) e que mexe, em todos os sentidos, com todos os outros The Voice’s do mundo inteiro venho comentar sucintamente sobre o programa que trouxe Usher e Shakira a banca de jurados substituindo Christina Aguilera e Cee Lo Green, que fizeram parte da quinta temporada.
      Parece que a brincadeira de passa-ou-repassa entre Shakira e Christina e Cee Lo Green e Usher é agradável ao público americano. As três primeiras temporadas foram julgadas pelo quarteto Adam/Christina/CeeLo/Blake e houve uma quebra devido a gestação de Christina e na quarta temporada Shakira e Usher substituíram os já citados jurados voltando a atração na temporada atual.
      Na minha humilde opinião, o que falta no grupo de jurados deste The Voice é a participação de Mariah Carey. Acredito que ainda não há no cenário pop mundial uma cantora capaz de alcançar tantas regiões vocais como ela. Não, não há mesmo. Tudo bem que Shakira pode até representar bem sendo uma excelente contralto, mas isso não é o suficiente. Tenho meus prós e contras a cerca do Adam Levine, mas como retirar a presença do homem mais sexy do mundo, eleito pela revista People, em 2013?
      A sexta edição começou receosa devido ao grande sucesso da temporada passada. Adam Levine conseguiu que uma caloura do seu time levasse o prêmio de “A Voz” da América e com salvas. Tessane Chin, a jamaicana que conquistou os corações gelados dos norte-americanos mostrou que uma voz potente e dinâmica é capaz de vencer e quebrar com o paradigma de que só ganha programa musical quem é “bonitinho” e “pode vender mais”.


Biff Gore vs. Sisaundra Lewis cantando "It's a Man's Man's Man's World" na segunda fase de batalhas, da sexta temporada do The Voice

      Na atual temporada, uma das participantes que mais chama a minha atenção é Sisuandra Lewis. Sim, eu sou apaixonado por cantores que possuem alta extensão vocal e a negra, mãe de três filhos e ex-backing vocal de Céline Dion é o destaque desta temporada. Com fortes influências em Whitney Houston, Aretha Franklin e Jennifer Holliday, Sisaundra faz parte do time do cantor country, Blake Shelton.
      Tenho forte impressão de que Sisaundra não ganhará a competição devido ao fato dela “não ser o padrão da indústria fonográfica”, mas é inegável o seu talento e potência vocal. Inegável, inquestionável, inviolável e todos os prefixos (in) capazes de mensurar a maestria que esta cantora possui. No time do Adam tem uma menina que fez sucesso no YouTube que pode levar essa temporada. O nome dela é Christina Grimmie.
      O time do Usher possui um cantor de soul que canta em falsete brilhante. O nome dele é Josh Kaufman. E o time da Shakira tem uma cantora, que é lésbica, mas que chama atenção por causa da sua voz. O nome dela é Kristen Merlin. Estes são os principais nomes desta temporada.

      Quem vai ganhar? Bom, isso só assistindo ao programa para saber. No Brasil, o The Voice é exibido no canal fechado Sony todos os domingos e segunda-feiras, às 23h. 

0 comentários:

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.