Menina

Posted by Italo Stauffenberg Marcadores: , , , , , , ,


      Doce, meiga, gentil, educada, delicada. Completar a frase com palavras não seriam o suficiente para retratar tamanha ternura. Restam-me os adjetivos que, por si só, já definem um alguém tão sereno, calmo e intenso.
      O jeito de menina que contrasta com a mulher que cresce, dia após dia, interiormente, nesse ser tão desejado, tão amado. A menina, que mesmo sendo mulher, não esquece que por ser mulher não deve deixar de ser menina. É um paradoxo! Chega a ser confuso tanta doçura. Os olhos arregalados, as orelhas pouco avantajadas... que nada! Quem é perfeito? Ela!
      Perfeição define toda essa erupção de afetos, de sinceridade e honestidade. Menina que se dedica a ler, a conhecer, a escutar. Há uma enorme diferença entre ouvir e escutar. O ouvir está ligado a percepção sentida pelo ouvido das palavras, dos sons... já o escutar significa prestar atenção ao que se ouve, sentir, perceber.
      É  por isso que muitas pessoas só conseguem ouvir. Elas não se detém ao fato de escutar o que lhes dizem. E sabe por quê? Por que não conseguem dar atenção a nada e a ninguém. É difícil, não é verdade? É difícil lidar com pessoas “ouvitivas”, se assim podemos neologizar esta palavra. E graças a Deus, que além de menina e prestativa ela sabe escutar.
      E os ouvidos são tão antenados a tudo que é bom. O gosto musical é peculiar. Se a vida fosse descrita por trilhas sonoras talvez Marcela Taís embalasse todos dias vividos por ela. Menina, não vá desanimar / A força que precisa para alcançar o céu em você vai apostar / Se cair, levante e caminha / Você é linda e tem companhia / Você é forte, só não sabia. É interessante ler este refrão musical de forma poética. Na verdade, músicas são poesias cantadas. E quem não gosta de uma poesia? Qual menina não gostaria de receber do amado uma declaração de amor em versos?
      A poesia meche com as emoções e cria novas sensações. É capaz de dar ao ouvinte a percepção de um novo mundo e só quem “escuta” é capaz de absorvê-la em sua essência. Talvez por causa do mundo lúdico e da esperança de dias melhores essas meninas sejam tão poéticas, tão românticas. Acho que também é por isso que as poesias fazem tanto sucesso com as meninas. As mulheres, já desgostosas de seus muitos amores, não se dão ao trabalho de ter esperança em um futuro certo. E quando digo “futuro” refiro-me a alguém pra vida inteira.
      Mas essa menina, não! Ela não é dessas desacreditadas. Essa menina é aquela que sonha e que vive um dia de cada vez na esperança de que amanhã vai ser melhor. Ah, vai ser sim! E quando o dia não tiver nada bom e as esperanças parecerem incertas é novamente na música que ela se agarra.
      Olha pra mim, te trouxe o bem / É a Boa Nova / Vejo você sorrir / Vem caminhar, ouvindo a canção / É esperança, é doce chuva que cai sobre ti. A palavra antiga, a poesia cantada mais parece um grito de esperança. Calma, nada acabou. Ainda há esperança. É a Boa Nova que não deixou de ser tão nova.
      Essa menina, essa doce menina que mais parece uma canção é capaz de alegrar, de comover e de fazer com que todos ao seu redor sejam capazes de dizer: ei, eu to aqui!
      Do seu amado, real ou não, ela consegue ouvir:

Segura a minha mão
Você terá que me cuidar
É teu meu coração
Se você for meu par
Ninguém gosta de solidão
Mas escolhi te esperar
Fiz uma oração
Pra este dia chegar


E o dia vai chegar!

2 comentários:

  1. Marize Borgneth

    CARAMBAAAAAAAAA,que texto lindoooooo. Essa menina-mulher deve ser mt sortuda por ter essa oportunidade de ter um texto aqui no blog. Engraçado que ela me lembra alguém rs, principalmente nos gostos musicais kkk. Mas, deve ser dificil pra ela essa transação de ter que ser mulher, como manda o ditado, porém ela é diferente das outras mulheres da idade dela, ela gosta de ser assim, ter esses sonhos de meninas, mas ouso dizer uma maturidade de mulher. Todo mundo tem uma criança dentro de si, porém ela, tem uma creche kkkk

  1. Tágila Maciel

    Uau, que incrível!

 

2011 por Natalia Araújo 2013 por Allan Penteado. Exclusivamente para o blog Manuscrito. Cópia parcial ou integral é totalmente proibida.